PIÁ




O PIÁ – Programa de Iniciação Artística é um programa sob a gestão da Secretaria Municipal de Cultura com parceria orçamentária da Secretaria Municipal de Educação, oferecido gratuitamente para crianças e adolescentes de 05 a 14 anos. É o único programa da Secretaria Municipal de Cultura voltado para esse público e cumpre a Lei Federal 13257/16, nos seus artigos:
 Art. 15: “As políticas públicas criarão condições e meios para que, desde a primeira infância, a criança tenha acesso à produção cultural e seja reconhecida como produtora de cultura.”

Art. 17: “A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios deverão organizar e estimular a criação de espaços lúdicos que propiciem o bem-estar, o brincar e o exercício da criatividade em locais públicos e privados onde haja circulação de criança”.

      Inspirado na EMIA (Escola Municipal de Iniciação Artística) existe há nove anos e atua de forma descentralizada em CEUs, Bibliotecas, Centros Culturais, Teatro, Casa de Cultura e Escolas. A sua abordagem artístico-pedagógica, relaciona processos artísticos e culturas da infância por meio da convivência entre artistas-educadores, crianças e adolescentes.   

Ojetivos:

ü  Valorizar as formas próprias da infância e adolescência em seus processos de criação e expressão.

ü   Propiciar experiências e aprendizados estéticos de forma dialógica entre diversos saberes.

ü  Democratizar o acesso de crianças e adolescentes a bens culturais e artísticos, contribuindo para a construção da cidadania cultural.

ü  Promover a sociabilidade e a integração da criança e adolescente na família, comunidade, na escola e em outros espaços públicos.





Princípios

ü  Ludicidade: A relevância da brincadeira e do jogo, nas maneiras de ser e estar no mundo, e em relação ao outro. 

ü  Experimentação: A valorização da descoberta de si e do mundo, promovida pela experiência estética e seus contexto de expressão, repertórios e vivências. 

ü  Processo criativo: A provocação dos acontecimentos criativos relacionando arte, infância e cotidiano como parte de um processo dinâmico, em constante transformação, de sensibilidade e acolhimento. 

ü  Temporalidades: A percepção dos ritmos, pulsações e estados de cada encontro artístico-pedagógico, com o cuidado em preservar os tempos próprios da criança e do adolescente. 

ü  Pertencimento: A participação ativa e a apropriação da vivência de processos artísticos no espaço público por meio da fruição de bens simbólicos e culturais.  

ü  Interlinguagem: A priorização da experimentação estética de modo transversal, híbrido e relacional, possibilitando novos caminhos de fruição e criação artística. 

ü  Ações compartilhadas: A criação de agenciamentos em diferentes instâncias, que visam colocar em contato experiências geradoras de processos e não apenas de produtos culturais.






Valores:


ü  Ética: o respeito e o diálogo entre todos os participantes e com caráter público do programa.

ü  Prospecção: o entendimento de que todas as ações do programa são precedidas por reflexões e aprofundamentos.

ü  Transversalidade e Pluralidade: a disponibilidade ao diálogo em todas ações e reflexões do programa.




6 comentários:

  1. Quando há inscrição ara crianças de 08 anos e em que polos?

    ResponderExcluir
  2. Quando ficaremos sabendo do cadastramento que fiz para artista educador em artes visuais para 2016?

    ResponderExcluir